sábado, 16 de junho de 2018

"Fake News" é só uma parte de um grande problema.



Debate sobre fake news ressalta importância da liberdade de imprensa

Segundo Frederico Meinberg, a disseminação de conteúdos falsos é só uma parte do problema; questão precisa ser pensada como um todo, defende o promotor de Justiça

O debate sobre fake news ultrapassa fronteiras de conteúdos fraudulentos e alcança, na maioria das vezes, a discussão sobre liberdade de expressão e de imprensa. 

Frederico Meinberg, promotor de Justiça e coordenador da Comissão de Proteção de Dados Pessoas do MPDFT, ressaltou, nesta quinta-feira (24/5), no evento Correio Debate: Fake News - O impacto das notícias falsas na democracia, a importância de manter a autonomia dos veículos de comunicação no cenário democrático do Brasil.

Ao se pensar em fake news, Meinberg explica que esse tipo de conteúdo é só uma parte de todo um mecanismo. Além das notícias falsas, há hackers e, principalmente, ferramentas de redes sociais, como o impulsionamento de postagemm, que podem representar um risco à democracia. "Sempre digo que fake news são só 25% do problema. 

Nessas eleições, hackers e impulsionamento de conteúdo vão ter mais peso. Vai ganhar a eleição quem souber usar essa ferramenta e souber o que fazer quanto aos hackers, porque eles vão aparecer", completou.

Para o promotor, a quantidade de recursos financeiros aplicados em campanhas eleitorais na internet vai ser o principal diferencial nessa corrida ao Planalto. 
Meinberg avalia que, após a reforma política, as redes sociais ganharam ainda mais importância na cena. "O impulsionamento entrou no lugar do tempo de propaganda na televisão e desempenha um papel fundamental nas eleições", acrescentou.

Alem do promotor, foram convidados para o segundo painel "As medidas de combate às fake news" Marcelo Vitorino, professor de marketing político e digital da Escola Superior de Propaganda e Marketing - ESPM, Edgard Matsuki, fundador do site Boatos.org e Carolina Bazzi Morales, vice-presidente da Associação Brasileira dos Agentes Digitais -ABRADI.

https://www.correiobraziliense.com.br/app/noticia/politica/2018/05/24/interna_politica,683249/seminario-sobre-fake-news-no-correio-braziliense.shtml

domingo, 20 de maio de 2018

Deep Web : Veja os 6 sistemas operacionais para navegação com o TOR


Top 6 Sistemas Operacionais para navegação com o Tor



Caçando pelo melhor sistema operacional para usar o Tor? Sim, isso é legal, nada de errado nisso, você provavelmente é apenas mais uma alma consciente de segurança e privacidade no planeta, como eu.


Ou talvez você tenha aprendido o suficiente sobre a Deep Web para conhecer melhor, e não confiar nos sistemas operacionais no geral enquanto passeia por seus becos escuros?


De qualquer maneira, é uma ótima decisão. O Tor é um ótimo navegador para sua privacidade, mas apenas o Tor não é suficiente para o anonimato completo, portanto, uma VPN e um sistema operacional anônimo e seguro são o que você precisa para finalmente fortalecer sua vida digital e seus hábitos de navegação.

Ao longo deste artigo, compartilharei alguns dos sistemas operacionais mais seguros e mais indicados para o Tor, que ajudarão você a usar a rede e o navegador Tor em seu computador e manter-se a salvo da maioria das ameaças existentes.
6 Melhores Sistemas Operacionais para se usar junto com o Tor

Esses sistemas operacionais são considerados os mais seguros, mais difíceis de se invadir e especificamente adaptados para a rede Tor, assegurando que ninguém está espionando seu sistema, nem podem monitorar ou censurar qualquer uma de suas atividades.

Então, sem mais delongas, aqui está a lista para a qual você veio aqui!
1. Whonix

Site: https://www.whonix.org/

O Whonix é um dos melhores sistemas operacionais para o Tor, principalmente porque é baseado no próprio Tor, e foi criado principalmente com o objetivo de prover a navegação anônima do Tor, então, obviamente, é um sistema perfeito para o Tor.

Todas e quaisquer conexões com à Internet feitas no SO Whonix são forçadas a serem roteadas pela rede Tor, ocultam automaticamente nossos endereços IP, atividades online e mascaram nossas localizações.

Então, qualquer pessoa com um ouvido curioso não vai conseguir ouvir nossas conexões e tráfego.

Ele tem o navegador Tor pré-instalado, junto com o Tor Messenger, servidores de IRC ocultos, clientes de e-mail seguros, como o Thunderbird, e criptografa as conexões de dados com o SCP.

Além de tudo isso, ele se orgulha de proteção contra vazamento de IP / DNS, proteção de impressões digitais, tráfego Tor de permissões, segurança por isolamento, capacidade de se esconder de bisbilhoteiros e estes são apenas uma fração de suas características!



Não devemos instalar o Whonix, o que significa que você também não pode executá-lo diretamente de um CD ou USB, mas precisa instalá-lo em uma máquina virtual para funcionar como um sistema operacional no seu sistema operacional geral.

Mas esse recurso também garante que o Whonix possa ser executado em qualquer sistema operacional, simplesmente instale uma máquina virtual, inicialize com o Whonix e está tudo pronto.

Então sim, sem dúvida é um dos melhores sistemas operacionais para o Tor. Vamos dar uma olhada em algumas de nossas outras opções.
2. Tails

Site: https://tails.boum.org

TAILS significa The Amnesic Incognito Live System. E, francamente, é provavelmente uma das melhores distro do Tor Linux já criada a partir da perspectiva de segurança, anonimato e proteção da privacidade.

Como o nome já pode ter sugerido, é um sistema operacional LIVE, portanto, ele pode ser executado diretamente de um CD ou de uma USB sem qualquer instalação formal e, depois de ser removido do sistema, não há nenhum rastreio de que tails tenha sido executado lá.

Obviamente, ele é pré-instalado com o Tor, junto com o Torbutton para controle de Javascript, também como é natural no Tor, todos os cookies são “cookies de sessão”, o que significa que eles são excluídos quando a sessão é encerrada.

O HTTPS Everywhere também é pré-instalado para forçar a versão HTTPS da maioria dos sites, e toda e qualquer conexão é roteada através da rede Tor por padrão, tornando-a uma das distribuições Linux mais seguras disponíveis para o homem.



Plataformas de mensagens como o Pidgin, o Thunderbird como um cliente de e-mail, o Onionshare como um cliente de compartilhamento de arquivos anônimo e até mesmo uma das melhores carteiras de Bitcoin, a Electrum vem com o pacote.

Quanto à criptografia, ele usa o MAT que anonimiza os metadados, o Keyringer para a criptografia do Git está disponível, o LUKS para a criptografia da unidade USB são apenas alguns dos protocolos de criptografia em vigor.

Tails Linux é claramente um dos melhores sistemas operacionais para o Tor sem muita dúvida.
3. Qubes

Site: https://www.qubes-os.org/

Como o Qubes é um dos melhores sistemas operacionais para o Tor? Eu obviamente explicarei os recursos para você, mas vamos resumir em uma pequena resposta, aqui está o que Edward Snowden disse sobre o Qubes!

E não apenas Snowden, meios de comunicação como WIRED e The Economist também demonstraram sua confiança na Qubes.



Então, em poucas palavras, sim, é seguro, confiável e rico em recursos que é estabelecido. Agora podemos passar a olhar sobre suas características.

O que torna a Qubes especial e sua principal característica é a “compartimentação e isolamento”. A Qubes tem essa capacidade de executar esses aplicativos em máquinas virtuais leves, chamadas AppVMs.

Assim, você pode executar cada programa separadamente ou em grupos (trabalho / residencial / confidencial, etc.) em diferentes máquinas virtuais e seria como se estivessem sendo executados em sistemas independentes e diferentes.

Assim, comprometer qualquer um dos aplicativos não contaminaria nenhum outro programa em seu computador.



Outra habilidade única da Qubes é que ela não está limitada a apenas um sistema operacional. Ou seja, tem TemplateVMs, que em palavras simples são diferentes distros do Linux, ou são capazes ou permitem que você rode o Fedora, ou até mesmo aplicativos do Windows!

Para completar, o Whonix está integrado em um dos TemplateVMs da Qubes, e já vimos como o Whonix é seguro, então essa é uma camada adicional de segurança que a Qubes oferece.

Se você está procurando um pouco de privacidade e pretende usar o Tor, o Qubes deve ser uma das suas principais escolhas.
4. TrueOS

Site: https://www.trueos.org/

Mesmo que o TrueOS não seja uma distribuição do Linux, ele ainda é um dos melhores sistemas operacionais para o Tor, pois é baseado no FreeBSD, que é universalmente conhecido por sua segurança e estabilidade. Também é um sistema operacional comparativamente mais novo que o Tais Linux ou qualquer outro desses.

Alguns de seus recursos de segurança mais proeminentes são a criptografia de disco completo GELI e o PersonaCrypt.

A criptografia de disco completo da GELI garante que seus dados permaneçam seguros e não comprometidos, mesmo no caso de roubo físico, isso porque a criptografia só pode ser quebrada com uma frase secreta e alguns arquivos aleatórios que são seus arquivos-chave.

E é altamente personalizável de acordo com suas próprias necessidades e preferências. Depois, há o PersonaCrypt, que criptografa suas unidades completas e cria versões portáteis delas.

Portanto, essas unidades portáteis criptografadas podem ser movidas entre outros sistemas TrueOS sem qualquer chance de serem interceptadas ou comprometerem o tráfego.



Uma das exclusividades da TrueOS é o recurso “SysAdm”, que nos permite controlar praticamente todos os aspectos de seus sistemas remotamente.

E, finalmente, o sistema de arquivos OpenZFS não deve ser perdido, não afeta o Tor diretamente, mas com certeza é um sistema revolucionário, permitindo que você “Capture instantaneamente” sua captura do sistema a qualquer momento (snapshot).

E então, quando algo dá errado, há um recurso de reversão integrado, voltando o seu sistema exatamente como estava no momento do instantâneo!

Pode não ser tão anônimo ou ultra-seguro quanto o Tails, mas é claramente mais seguro do que a maioria dos sistemas operacionais que geralmente usamos e, como claramente não usamos o Windows na Deep Web, parece uma alternativa valiosa.
5. Subgraph OS

Site: https://subgraph.com/sgos/

Subgraph OS é sem dúvida um dos melhores sistemas operacionais para o Tor, ou em outras palavras, o melhor Linux para Deep Web. Isso porque implementou recursos mais que suficientes para sua segurança, anonimato e privacidade.

O objetivo principal do Subgraph é “reduzir a superfície de ataque e torná-la mais cara” para que atacantes ataquem o seu sistema.

Por exemplo, Ele é fornecido com o GrSecurity que é o melhor aprimoramento de segurança do Kernel Linux disponível.

E, da mesma forma que a Qubes, também acredita em um ambiente “contido e isolado”, de modo que cada aplicativo tem acesso limitado a arquivos host no sistema, garantindo que uma violação de qualquer aplicativo individual não contamine todo o sistema.

“Criptografia obrigatória” é outra de suas medidas de segurança, ao contrário de quase todos os outros sistemas operacionais, o Subgraph tornou obrigatório ter um sistema de arquivos criptografado para usar o Subgraph OS.

Ele reescreveu o cliente de e-mail do zero e vem com um número muito menor de pacotes para reduzir a superfície de ataque dos invasores.



Além dessas medidas gerais de segurança, ele personalizou algumas medidas específicas do Tor, além de torná-lo um dos melhores sistemas operacionais para o Tor.

Toda conexão de saída é forçada através do Tor, ela também usa o “fluxo de isolamento” do Tor para evitar que o mesmo circuito Tor seja usado pelo mesmo aplicativo.

O firewall do seu aplicativo permite que você verifique todas as conexões novas e desconhecidas para garantir que sejam autênticas e não um malware ou um sniffer de dados.

Portanto, é um dos sistemas operacionais mais difíceis de invadir e, portanto, uma das melhores opções para os usuários do Tor, já que ninguém pode escutar suas conexões e atividades na Web.
6. Mofo Linux

Site: https://mofolinux.com/

Apesar de soar vulgar, o Mofo Linux é uma das melhores distribuições Linux para navegação na web, criada com o objetivo público de “derrotar a censura do estado”.

Em sua página inicial, eles são bastante expressivos sobre como o Mofo Linux tem como objetivo interromper todos os tipos de censura e ajudar as pessoas a exercerem seus direitos à privacidade e aos direitos humanos.

Ele vem pré-empacotado com o Tor, OpenVpn, I2P e vários outros navegadores e aplicativos conscientes da privacidade.



Todo e qualquer tipo de histórico, cache ou log de atividades é destruído automaticamente no desligamento. Quanto à instalação, ele pode ser usado como um SO Live, o que significa que você pode inicializá-lo diretamente de um CD ou pendrive.

Então, em suma, é um dos defensores mais agressivos da rede da cebola, do navegador Tor e da Dark Web, além do suporte para VeraCrypt, ZuluCrypt e outros softwares de criptografia. Sim, é seguro.
Conclusão:

Muitos dos sistemas operacionais compartilhados aqui são distros Linux. O Linux sempre foi conhecido por suas medidas de segurança e por ser de código aberto, não é verdade?

Distribuições do Linux são apenas diferentes “distribuições” ou versões do Linux, desenvolvidas por indivíduos ou equipes.

De acordo com o fato de que existem tantas versões diferentes, não é um alvo tão fácil de hackers ou agências quanto o Windows.

Além disso, como é de código aberto, não há backdoors instalados. E, por último, essas distros em alguns casos (embora nem todas) podem ser executadas a partir de um CD ou USB em modo LIVE.

Ou seja, eles não usam o disco rígido do seu computador e preferem viver na RAM, portanto, eles só existem enquanto são usados, uma vez que o sistema é desligado, todo e qualquer rastreio do sistema operacional que está no hardware é apagado.

Algumas distros como TAILS e Mofo Linux foram projetadas com o objetivo principal de permitir que você acesse a Deep Web e a rede Tor anonimamente. Todos esses fatores se juntam para torná-los os melhores sistemas operacionais para o Tor.

Mesmo os sistemas operacionais que não são versões “Live”, e não são “Linux distros”, não podem ser invadidos facilmente, eles suportam e são feitos para o Tor, respeitam o seu anonimato e privacidade e é isso que faz do melhor sistema operacional para o Tor.

Um sistema seguro significa segurança para o navegador Tor, toda a rede e suas atividades e é exatamente isso que esses sistemas operacionais oferecem.

Deixe-me saber o que você acha desses sistemas operacionais, e sua opinião sobre o seu sistema operacional de suporte Tor favorito, em nossa página no facebook.

Compartilhe isso:
fonte: https://blog.deepwebbrasil.com/top-6-so-navegacao-tor/

segunda-feira, 23 de abril de 2018

Os candidatos nanicos para 2108 crescem nas redes sociais



BRASÍLIA /O GLOBO  . Uma primeira análise no desempenho nas redes sociais dos pré-candidatos à Presidência pode causar a impressão de que o cenário é semelhante aos das pesquisas de intenção de voto: o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e o deputado federal Jair Bolsonaro (PSL-RJ) são os líderes isolados.

Entretanto, o resto da disputa é bem diferente: candidatos com índices baixíssimos nas pesquisas — como Manuela D'Ávila (PCdoB), João Amoêdo (Novo), Flávio Rocha (PRB) e Guilherme Boulos (PSOL) — alcançam ou ultrapassam, no Facebook, adversários com mais intenções de voto, como Marina Silva (Rede), Geraldo Alckmin (PSDB) e Ciro Gomes (PDT). Entre os dois grupos, está Alvaro Dias (Podemos), que tem bom desempenho na internet e teve um crescimento recente nas pesquisas.

Em março, Lula teve 3,6 milhões de interações — o conjunto de curtidas, comentários e compartilhamentos de um conta no Facebook —, contra 3,05 milhões de Bolsonaro, de acordo com a ferramento Crowdtangle. Atrás deles, ficaram Manuela (1,25 mi), Dias e Amoêdo (ambos com 1,03 mi). Rocha teve 378 mil, enquanto Marina ficou com 372 mil e Boulos, com 334 mil. Alckmin e Ciro tiveram, respectivamente, 237 mil e 138 mil de interações.

Outros pré-candidatos, ou possíveis postulantes, não chegam a 60 mil interações. Estão nessa lista o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), o presidente Michel Temer, o ex-ministro da Fazenda Henrique Meirelles, o ex-prefeito de São Paulo Fernando Haddad e o ex-presidente do BNDES Paulo Rabello de Castro (PSC). O ex-ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Joaquim Barbosa (PSB) não tem página no Facebook, apenas um perfil pessoal.

Nos últimos seis meses, os pré-candidatos que mais cresceram nas redes foram Flávio Rocha (com um aumento de 3.665% em suas interações) e Manuela (crescimento de 2.463%), seguidos de Amoêdo (475%) e Boulos (215%). Situação bem diferentes das pesquisas eleitorais: no último Datafolha, Manuela chega no máximo a 3%, enquanto os outros não passam de 1%. Alvaro Dias está um pouco na frente: com um bom histórico nas redes sociais, ele chegou a 5% no melhor cenário.
Pedro Burgos, jornalista e pesquisador de mídias sociais, considera que não será simples converter essa popularidade online em votos, mas ressalta que as redes serão uma ferramenta importante para tornar os políticos mais conhecidos:

As redes sociais são especialmente importantes para a projeção nacional de candidatos menos conhecidos nacionalmente. Com o tempo de TV limitado e o dinheiro mais curto por causa da reforma política, as redes sociais serão um grande palanque para desenvolver melhor as ideias, a plataforma de governo, e responder acusações — avalia.

TANTO APOIO QUANTO CRÍTICA

Para Fabro Steibel, diretor executivo do Instituto de Tecnologia e Sociedade (ITS) e professor da ESPM-RJ, um bom desempenho na internet coloca os candidatos em outro patamar e pode facilitar a campanha:
— O Facebook não ganha eleição, mas vale ouro. Existe um custo para você criar as coisas. Você já ter esse capital na rede social te favorece a ter menos custos. É um capital acumulado — explica.


Corrupção fala mais alto na pesquisa Datafolha
Steibel ressalta que o número de interações não distingue entre os apoiadores e os adversários dos candidatos. Entretanto, isso não seria um problema, já que o importante é manter-se em evidência nas redes.

O algoritmo entende clique. Ele não entende crítica. Quanto mais presença você tiver nas redes sociais, mas o algoritmo irá dar destaque. Aquele candidato que tiver mais páginas falando dele ao mesmo tempo tende a sair na frente — aposta.

Na mesma linha, Burgos destaca que o fato dos apoiadores passarem a divulgar por conta própria o candidato e suas ideias é um indicativo positivo.

— Tão importante quanto ver se um candidato tem bastante engajamento é ver o quanto que o nome dele é lembrado por eleitores nos comentários de outras páginas ou veículos — afirma.
Esse é um dos pontos centrais da estratégia digital da deputada estadual Manuela D’Ávila. Marcelo Branco, coordenador da equipe de redes sociais, destaca o foco no que ele chama de “autocomunicação de multidões”:

— Nós temos uma visão de que a comunicação nas redes sociais não é um espaço de transmissão de informações, do editor propagando mensagem pro público. Nós valorizamos a ideia de que existe uma multidão de apoiadores se comunicando entre si — explica.

Na campanha de João Amoêdo, o coordenador de redes, Daniel Guido, diz que a ideia é apostar no compartilhamento das propostas do candidatos:

 O objetivo é gerar conteúdos que as pessoas tenham interesse em compartilhar. O importante pra gente é sempre trazer uma proposta, e não virar uma página de comentários de notícias — afirma.
De acordo com Cristiane Sales, da equipe de Alvaro Dias, a estratégia do senador é conciliar os assuntos do dia com o resgate de bandeiras antigas dele.

A rede é a menina dos olhos dele. Ele acha que é um canal fundamental para conversar com a população. É muito exigente, cobra resposta aos seguidores — explica.
O tamanho das equipes de cada candidato varia: João Amoêdo e Alvaro Dias tem quatro pessoas, cada um, cuidando de sua redes, enquanto Manuela tem 10. Já a campanha de Flávio Rocha contratou uma empresa para cuidar do Facebook, mas a assessoria diz que ele mesmo administra suas contas no Twitter, Instagram e Linkedin.

Leia mais: https://oglobo.globo.com/brasil/candidatos-nanicos-crescem-nas-redes-sociais-22617649#ixzz5DX0qMcvf

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

5 truques sujos para manipular likes e views das redes sociais



SEU AMIGO VIRTUAL É UM ROBÔ

Para que esperar seu total de seguidores crescer naturalmente se você pode contratar um software para criá-los artificialmente? “Esses programas são chamados de bots, e executam tarefas online mais rápido que os humanos”, explica André de Carvalho, do Instituto de Ciências Matemáticas e da Computação da USP. Basta dar o comando uma vez (como criar contas para te seguir no Twitter) e deixá-lo trabalhando sozinho.

LIKE EM CATIVEIRO

Bots não são novidade – e as principais redes sociais têm sistemas para tentar detectá-los e eliminá-los. Mas os trambiqueiros deram um jeito de criar algo mais “artesanal”. O jornal inglês Daily Mirror localizou, na China, uma “fazenda de cliques” com mais de 10 mil smartphones operados remotamente para curtir páginas e seguir contas de quem pagasse por isso. Em Bangladesh, havia outra ainda mais cruel: pessoas de verdade passavam o dia curtindo posts e seguindo contas por míseros US$ 120 ao ano.

QUER PAGAR QUANTO?

Usando um e-mail falso, a ME conversou com algumas empresas especializadas em vender likes. O preço médio de 500 curtidas no Facebook é de R$ 170. Para YouTube, é mais barato: R$ 3 a cada mil visualizações. Nenhum dos prestadores do serviço admite o uso de bots. Existem pacotes mais baratos, os “internacionais” – com seguidores que não necessariamente falam a sua língua. (Aliás, recentemente, um shopping russo implantou uma máquina de venda de seguidores, aos moldes das máquinas de refrigerantes).

MILITÂNCIA AUTOMATIZADA

Os bots também costumam ser utilizados para tentar vencer, “no grito”, o fla-flu que virou a política brasileira nas redes sociais. Em 2013, VEJA denunciou que figuras como Aécio Neves, Renan Calheiros e Agnelo Queiroz tinham uma rede de fãs que só existiam online. Eram bots que intercalavam posts sobre assuntos variados e mensagens de apoio a eles. Nas eleições presidenciais de 2014, além de Aécio, foi a vez de Dilma Rousseff ser flagrada pela BBC Brasil realizando o mesmo truque.

VIU UM, VIEW OUTRO

Não acredite em tudo que vê – literalmente. O canal do YouTube Café com Cinema colecionava centenas de milhares de views e várias vezes ficava no ranking dos mais assistidos do dia. Mas usuários estranharam que esses vídeos tinham pouquíssimos comentários e compartilhamentos, algo esperado de qualquer hit na internet. A fraude foi descoberta: os vídeos ficavam escondidos em sites de streaming de anime. Toda vez que alguém clicava para assistir a um episódio de Naruto, por exemplo, dava play nos vídeos do Café com Cinema e nem desconfiava.

© Mundo Estranho Redes-Sociais-Apps
A REGRA NÃO É CLARA

Como esperar que usuários se comportem se as próprias redes sociais são ótimas em manipular dados?

A CARTILHA SECRETA DO FACEBOOK

Recentemente, o jornal The Guardian revelou um documento exclusivo para funcionários do Face com diretrizes sobre o que é ou não permitido nas postagens. Muitas das regras (desconhecidas do grande público) causaram polêmicas. Por exemplo: em certos casos, podem até ser permitidas fotos de bullying, de abuso de crianças ou de animais, e vídeos de morte violenta ou mesmo automutilação. Vídeos de aborto são aceitáveis – desde que não haja nudez. Aliás, projetos artísticos de nudez só são aceitos se foram feitos à mão, e não digitais. Em 2016, o Facebook também foi acusado de “inflar” em até 80% suas estatísticas sobre vídeos. A empresa declarou que era um “erro” do sistema, já consertado.

A MAÇONARIA DO TINDER

Na vida real, quem está fora de uma balada milionária não consegue conhecer ou paquerar alguém lá dentro. Uma das promessas do Tinder era nivelar esse jogo – afinal, no app, todo mundo tem acesso a todo mundo, correto? Errado. Uma parcela dos usuários está restrita. Eles foram selecionados pela curadoria do próprio aplicativo para participar do Tinder Select (também conhecido como Tinder Black). Só os mais ricos, famosos ou bonitos recebem o convite.

O ANABOLIZANTE DO SNAP

O Snapchat inflava seu número de usuários artificialmente para impulsionar ainda mais o seu valor de mercado. A acusação foi feita por Anthony Pompliano, ex-funcionário responsável pelo time de crescimento do aplicativo. Ele move um processo judicial contra a empresa, alegando que foi demitido por ter se recusado a dar continuidade ao plano. A Snap emitiu um comunicado dizendo que o conteúdo do processo é apenas obra de um ex-funcionário insatisfeito.

FONTES Sites Folha de S.Paulo, O Estado de S. Paulo, VEJA, The Guardian, El País, The New York Times, The Daily Mirror, The Telegraph, Track Mavens, O Globo, EXAME, Brainstorm 9, Meio e Mensagem, Olhar Digital, Bloomerang e Buzzfeed News Brasil

CONSULTORIA André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho, professor do Instituto de Ciências Matemáticas e de Computação da USP


https://www.msn.com/pt-br/noticias/ciencia-e-tecnologia/5-truques-sujos-para-manipular-likes-e-views-das-redes-sociais/ar-BBHV66k?ocid=spartandhp

quarta-feira, 10 de janeiro de 2018

As 5 principais tendências do marketing digital para 2018




5 Tendências de mídia social e marketing digital a serem vistas em 2018

Quais são as tendências que mais importarão para CMOs e outros líderes de marketing E MAIS AINDA PARA A SUA EMPRESA em 2018?

Quais são as tendências que mais importarão para CMOs e outros líderes de marketing E MAIS AINDA PARA A SUA EMPRESA em 2018?

Embora eu não pretendo ter uma bola de cristal ou saiba exatamente o que está acontecendo na sua empresa, posso e gostaria muito de compartilhar aqui com você o que é importante para a sua empresa.

Os 5 temas descritos aqui devem já parecer familiares, pois todos têm algo a ver com a interseção de conteúdo, tecnologia e conexão com os clientes. 

Sim, a inteligência artificial (AI) aparece – em homenagem à aparente exigência de que a AI deve ser mencionada em todos os artigos da tendência de negócios, que avançam – mas vejo a AI como um papel de apoio e não mais protagonista. Isso porque o foco precisa estar no “porquê”, que é ajudar as pessoas numa interação por vez, criar conexões e criar confiança entre marcas e clientes.

O valor do vídeo continua crescendo com as histórias da vida real.

As marcas bem-sucedidas combinam o impacto emocional do vídeo com o alcance e o imediatismo das mídias sociais para construir relacionamentos mais profundos com clientes e prospects. O movimento das imagens e som têm o poder de transmitir sentimento e estimular a memória de uma maneira que as palavras escritas não conseguem alcançar. É o que torna o vídeo “uma excelente plataforma para educar os telespectadores em tópicos e assuntos diretamente relacionados ao seu negócio e posicionando sua marca como uma fonte credível e confiável de informações vitais.

Se estiver entregando uma experiência autônoma nos bastidores em um evento especial ou um tutorial de produtos, os vídeos funcionam bem em todos os dispositivos – uma vantagem que é cada vez mais importante no nosso mundo móvel ter a visão e o foco do multi-dispositivo.

O conteúdo do vídeo também pode ser projetado para atender cada etapa da jornada do comprador, com educação no início, vídeos explicativos no meio e demos e depoimentos no final do processo de vendas.

À medida que as gerações Millennium e Z englobam plataformas de transmissão em tempo real e redes sociais como Instagram e Snapchat, as marcas devem apresentar vídeos rápidos e teaser com menos de 30 segundos que começam a jogar dentro da plataforma automaticamente.

Embora seja claro que as marcas precisam desenvolver mais conhecimentos de vídeo para capturar a atenção, aconselho as empresas a desenvolverem também uma estratégia clara e um chamado para ação para aproveitar ao máximo seu investimento em vídeos.

A mensagem direta de mídia social poderia redefinir a experiência do cliente.

Como o uso de plataformas de mensagens de redes sociais como o Facebook Messenger, o WhatsApp e o WeChat crescem exponencialmente o potencial para melhorar a experiência do cliente, a qual também se expande. Além de permitir que os clientes interajam em um canal onde se sentem mais confortáveis, a mensagem direta permite que as empresas ofereçam uma maior qualidade de atendimento ao cliente e suporte.

Por exemplo, quando um cliente ou uma perspectiva suscita um problema em um canal aberto de redes sociais, a empresa pode levar para uma conversa “offline” através de mensagens diretas para proteger a privacidade e lidar com problemas sensíveis.

Enquanto as mensagens começaram como conversas com amigos e familiares, o número de consumidores que agora utilizam mensagens diretas para se envolver com marcas é surpreendente. De acordo com as estatísticas do Facebook, as empresas agora trocam mais de 2 bilhões de mensagens com consumidores via Messenger todos os meses.

Dito isto, é a combinação de plataformas de mensagens com chatbots alimentados por inteligência artificial (AI) que possibilita que as marcas se envolvam em conversas de clientes mais relevantes, personalizadas e úteis em escala. A importância deste comércio social e conversacional atinge a casa quando você considera que os consumidores digitais agora dizem que passam uma média de 2 horas e 15 minutos por dia em redes sociais e mensagens – até 45 minutos desde 2012 – com base nas últimas pesquisas da GlobalWebIndex.

As marcas precisam ser all-in no celular ou ficam para trás.

O link entre o social e o móvel é claro: 91% dos usuários de redes sociais acessam plataformas sociais via dispositivos móveis, de acordo com o “Relatório de Visão Global Global 2017” da We Are Social e Hootsuite. Os próprios dados do Google mostram que as buscas móveis compõem mais de metade das buscas no seu mecanismo de pesquisa e os sites amigáveis ​​para dispositivos móveis se mostram mais altos nos resultados de pesquisa. Além disso, os visitantes são cinco vezes mais propensos a deixarem um site que não é amigável para dispositivos móveis.

Considerando que essas tendências são susceptíveis de aumentar, as estratégias efetivas de engajamento móvel são críticas não só para o marketing de redes sociais, mas também para a experiência digital global de uma marca; e enquanto a maioria das marcas diz que seus sites são “móveis”.

O Google informa que muitas empresas estão perdendo oportunidades por causa de um desempenho mobile fraco. Mesmo que 53 por cento das visitas ao site móvel sejam abandonadas se as páginas demorarem mais de três segundos para carregar, o tempo médio de carregamento é de 22 segundos, de acordo com Think with Google.

Claramente, há mais para o engajamento móvel do que simplesmente tornar os sites móveis sensíveis. Felizmente, há muitos bons conselhos disponíveis. Para obter dicas técnicas, recomendo Google Optimizar para o seu site para atingir o desejo de quem lhe encontrará pelo celular.

A tecnologia centrada no cliente leva a personalização e ROI.

Hoje, espera-se que as empresas ofereçam conteúdo altamente personalizado e mais e mais personalizado à velocidade da luz. Para conseguir isso, precisamos de uma visão de 360 graus do envolvimento do cliente em toda a jornada. Atuar sobre essa compreensão do cliente é fundamental para uma estratégia de marketing digital bem-sucedida.

Isso requer análises centradas no cliente que revelem informações importantes sobre o comportamento do mesmo.


Às vezes isso significa ouvir mais e vender menos.

As marcas precisam ouvir ativamente o que os compradores e os clientes estão dizendo em todos os canais, desde o serviço ao cliente até às vendas. É, o que é preciso para se empenhar em empatia e autenticidade – qualidades especialmente valorizadas pelas gerações mais novas.

As marcas maduras digitais estão implantando AI e aprendizado de máquina para gerar diferenciação e oportunidade. Ao usar dados do cliente, como comportamento digital e histórico de compras, eles são capazes de fazer recomendações personalizadas.

O LinkedIn reforça sua posição como canal mais valioso para o B2B.


Com o foco do “todo o negócio” do LinkedIn, é o principal canal social para o marketing B2B – 89% de acordo com dados do Demand Wave. Essa preferência está ligada aos resultados, com 62% usando o LinkedIn para geração de leads e 43% atribuindo vendas ao canal.

Desde a compra pela Microsoft do LinkedIn em 2016, os profissionais de marketing estão vendo oportunidades mais fortes para alcançar os 40 milhões de tomadores de decisão e 61 milhões de influenciadores de nível superior que visitam o site regularmente para encontrar conteúdo comercial e liderança de pensamento.

Além de muitas ferramentas gratuitas para aumentar a conscientização da marca e publicar conteúdo, mais profissionais do marketing estão investindo no conteúdo patrocinado pelo LinkedIn e no InMail (caixa direta de mensagens e mensagens digitais do LinkedIn), bem como anúncios de exibição e texto.

Neto Angel RP
https://www.administradores.com.br/artigos/marketing/5-tendencias-de-midia-social-e-marketing-digital-a-serem-vistas-em-2018/108666/

domingo, 7 de janeiro de 2018

Quais são as Mídias Digitais mais poderosas?



Por  
GUILHERME LIPPERT


Por toda internet as pessoas mostram estatísticas e compartilham notícias mostrando a importância e relevância das mídias digitais nos dias de hoje. Porém estamos fartos de ler e ouvir notícias deste tipo, então vamos falar do que realmente importa: Quais são as mídias digitais mais efetivas?

Caso você seja um dos raros casos de pessoas que ainda não ouviram das tais “Mídias Digitais”, vou explicar agora:

Midias digitais são todo e qualquer tipo de divulgação de qualquer tipo de material divulgado pela internet, como os vídeos de anúncio no youtube, os banners de blogs, anúncios no Google e no Facebook. Tudo isso citado são tipos de mídias digitais, alguns são feitos com estratégias mais agressivas, alguns com estratégias que entregam mais do que recebem, neste artigo irei tratar com mais detalhe as mais efetivas e mais imporantes da atualidade.

Agora que você já sabe o que são as mídias digitais, você terá como compreender do que este post se trata!

Usar uma ou várias estratégais?

Se você for pensar em qual de todas mídias você vai usar irá acabar não usando nenhuma, tudo que você faz para divulgar sua marca ou empresa é um tipo de mídia digital, então ao invés de focar em uma, você deverá utilizar as que mais se encaixam com o seu negócio, além de, obviamente, utilizá-las de uma maneira efetiva e correta.


Indiferente de qual tipo de empresa você tenha, a melhor estratégia para se seguir quando se fala de mídia digital é utilizar a vários tipos de mídia em conjunto para ter várias fontes de resultados. Por exemplo, você pode ter um Blog que terá links para seu Facebook, onde você terá postagens que focam no seu produto e podem gerar vendas, ou você tem anúncios no Facebook que levam diretamente para uma landing page onde você poderá estar convencendo sua persona a comprar seu produto ou gerar um lead.

As combinações de estratégias para as mídias digitais são inúmeras, mas o intuito desta postagem é mostrar quais são as mídias digitais mais efetivas?


FACEBOOK


Todos os blogs, portais, empreendedores e qualquer pessoa deste meio sempre diz que uma das melhores mídias é o Facebook, eles estão certos? Sim! Porém você tem que saber o que você está fazendo ou ter alguém que saiba, assim você saberá que seu investimento realmente está valendo a pena.


O Facebook oferece algumas vantagens que quase nenhum outro site do tipo oferece, como a sua grande utilização, onde temos bilhões de pessoas usando o Facebook pelo mundo todo, e dentro dessa quantidade imensa de pessoas o Facebook fez algo que se tornou de grande ajuda para quem quer utilizar a rede social para anúncios: 
A sua Super Segmentação.


A segmentação do Facebook hoje é a mais completa que existe dentro de todos os tipos de segmentação, você pode anunciar para quase qualquer tipo de pessoa, com alguns cliques você monta uma campanha e começa a mostrar anúncios para EXATAMENTE quem é seu potencial cliente, fazendo assim o Facebook ser um dos investimentos mais certeiros quando se trata de anúncios interruptivos.


Outra grande vantagem do Facebook é seu baixo custo, você pode começar a anunciar hoje mesmo no Facebook com 5 reais, claro que seus resultados serão menores, mas com não muito mais do que isso você consegue ter uma grande exposição e, se bem feito, muitas vendas, que é o que realmente importa quando se trata de marketing.


Todas as pessoas que anunciam no Facebook estarão também sendo vistas dentro do Instagram, aplicativo esse que tem crescido cada vez mais, apesar de ter uma pegada totalmente diferente do Facebook, o instagram também pode ser uma grande fonte de faturamento para sua empresa, fazendo com que você possa ter uma base de fãs engajados também nessa plataforma, tendo assim mais uma fonte de tráfego e vendas.


O grande porém desta mídia é que a maioria das ações que você pode fazer são muito pontuias, muitas vezes não deixam nenhum tipo de “legado”, acabam se tornando apenas campanhas diretas de venda, muitas vezes elas vão deixar resultados não muito duradouros, as vendas são pontuais, se você para o investimento sua exposição cai quase que por completo e o crescimento exponencial que o Facebook lhe proporciona fica totalmente parado, tudo tem os pontos bons e ruins, não é mesmo?


Porém já já vamos falar de uma estratégia que pode gerar resultados contínuos com esforço monetário quase zero, fazendo com que em conjunto com esse tipo de anúncio interruptivo, seus investimentos comecem a ser mais certeiros do que nunca.


Cada vez mais vemos empresas, pessoas e produtores de conteúdo citarem o Facebook como uma boa mídia digital




ADWORDS


Muito usado para se posicionar em palavras chaves específicas, o Adwords é uma Mídia Digital muito usada para posicionar bem seu site em todas as palavras das quais você quer estar aparecendo nas buscas do Google.

A utilização do Adwords envolve aqueles anúncios nas buscas do Google que ficam acima de todos os resultados orgânicos, por tal motivo o Adwords pode ser uma ótima ação para conseguir leads quentes, fazendo com que você consiga encontrar pessoas mais propícias a comprar seu produto por conta de eles, provavalmente, já estarem pesquisando sua solução.

Outro tipo de utilização do Adwords são os anúncios em vídeo no Youtube, tratado muitas vezes como chatos, os anúncios de 5 segundos, quando bem segmentados e bem feitos, podem ser um turning point nos anúncios vindos desta ferramenta. Quando bem segmentado o anúncio pode acabar chamando muita atenção nestes curtos 5 segundos, tendo uma grande chance de converter uma boa quantidade de pessoas, considerando também a quantidade de público que o Youtube possui.

O adwords também pode ser muito útil na hora de utilizar banners, antigamente nós entrávamos em contato diretamente com donos de blogs, sites de todos os tipos e conversávamos com essas pessoas a possibilidade de colocar um banner no site deles por um período com x de custo, hoje em dia isso se tornou muito mais simples por conta do Adwords e seus anúncios em Rede de Display, onde você pode segmentar os blogs e sites que você quer que seus banners apareçam, também possuindo uma grande gama de segmentação para você não estar cometendo nenhum erro.

Com a mesma utilização da Rede de Display você pode fazer campanhas de Remarketing, aí que você pode também fazer uma boa utilização dos pixels do facebook para juntar essas duas mídias digitais para fazer uma super campanha, onde, por exemplo, a pessoa cai num anúncio seu do Facebook, ao ver e sair ela começa a ver mais daquela sua mesma ação em outros sites que ela visitar, fazendo assim com que seu potencial cliente não perca nunca de vista seus anúncios.

Considerando sua relativa complexidade, o Adwords deve ser feito com cautela para não ser um investimento em vão, sendo assim importante que um especialista dessa área faça as campanhas.

Os anúncios nos Adwords estão se tornando cada vez mais comum, gerando um hype para o pessoal que costuma falar de marketing digital, essa mídia também já vem há tempos sendo falada, 


INBOUND MARKETING


Para aqueles que não estão muito familiarizados com o Inbound Marketing, essa estratégia envolve a criação de conteúdo relevante para sua persona, sendo o contrário de um marketing direto, no qual você tenta a todo o custo atrair a atenção do seu consumidor, no Inbound Marketing você criará conteúdo relevante e realmente interessante para seu consumidor, gerando assim uma audiência que estará muito mais propícia a comprar de você pela relevância que você vem criando.

A criação de conteúdo no Inbound é a parte mais essencial dessa estratégia, produzir conteúdo realmente relevante para sua audiência muitas vezes pode ser algo um tanto complicado, porém com absoluta certeza vale o esforço.

Existem muitas diretrizes de SEO que podem ser seguidas na hora de escrever seus artigos ou divulgar seus vídeos, essa estratégia pode aumentar significativamente seu Rankeamento no Google, fazendo com que mais pessoas encontrem seu blog ou seu site e consequentemente comprem seus produtos.

Uma grande vantagem de utilizar o Inbound Marketing é a criação de Autoridade que ele traz consigo, quando você começa a produzir conteúdo realmente relevante para sua audiência, essas pessoas começam a acompanhar com mais frequência a sua empresa, fazendo com que eles comecem a ver você como autoridade naquilo que você se posiciona, assim se torna muito mais fácil de vender para essas pessoas.

Criando seus conteúdos e gerando leads você começa a gerar uma audiência mais engajada com a sua marca ou produto, depois você pode criar campanhas no Facebook ou no Adwords para converter essa audiência, como eles já estarão familiarizados com você suas campanhas com certeza irão ter um desempenho muito superior à uma simples campanha de marketing direto com a segmentação do Facebook ou do Adwords. Por que o Inbound Marketing deixa seus clientes mais quentes, essa estratégia vem se tornando cada vez mais usada por todas as empresas pelo Brasil e já há algum tempo no exterior.

Em 2016 o Inbound Marketing se tornou uma das principais estratégias de diversos tipos de empresas, hoje em dia esse tipo de ação é feita por grande parte das empresas existentes, diversas pessoas ensinam.


Essas são as Midias Digitais das quais a gente aqui na V4 Company consideramos as mais importantes e relevantes na atualidade, todas elas podem ser usadas sem nenhum problema por qualquer tipo de empresa, desde varejo até empresas de Software ou academias, por exemplo. Porém deve-se levar em conta que todas essas ações demandam uma estratégia clara e profissionais qualificados para produzir conteúdo, gerenciar redes sociais, produzir anúncios no Facebook e no Adwords.

Se você ainda não utiliza nenhuma dessas mídias digitais você está com certeza perdendo muito dinheiro e exposição. Aqui no nosso blog você encontra diversos posts que mostram os motivos de você TER de investir nessas mídias, mostrando que a interent não é o futuro, mas sim o presente.

Caso você ainda não faz nenhuma dessas ações, nos da V4 Company podemos te ajudar! Aqui na empresa nos fazemos isso há mais de 8 anos e temos conhecimento o suficiente para aplicar estas e outras estratégias para qualquer tipo de empresa. Entre em contato conosco e a gente estará disposto a levar sua empresa a um novo patamar, utilizando essas e outras estratégias de Marketing Digital.

Muitas agências digitais vem utilizando as Mídias Digitais de uma maneira que não gera Resultados, aqui na V4 Company nós acreditamos que Marketing só é Marketing quando vende o seu produto.


E CASO VOCÊ AINDA NÃO SAIBA….

Aqui na V4 Company nós desenvolvemos um processo claro e replicável para qualquer negócio vender mais. O Método V4 para vender coma internet é baseado em quatro pilares fundamentais:

Tráfego – Diz respeito ao volume de visitas que seu negócio tem. Seja um ponto de venda físico ou digital, suas chances de venda são diretamente proporcionais à o volume de tráfego que você tem no seu ambiente. Um site sem tráfego é como uma loja no meio de um deserto.

Engajamento – Como você encanta seus clientes? De que forma você irá conduzir um potencial cliente ao consumo da sua solução? Porquê ele deve escolher por você e não pelo seu concorrente? Essas respostas se traduzirão em sua estratégia de engajamento.

Conversão – Você tem o cliente no seu ambiente, e ele está determinado em comprar seu produto. Qual o melhor meio de pagamento? Quantos acabam desistindo? Porquê? Como fazer diferente? Essas respostas se tornarão suas estratégias de conversão.

Retenção – Você conhece seu cliente? Entende porque comprou de você? Quando poderá comprar novamente? Essas respostas e todo este artigo até que você leu até agora, são os pontos que poderão fazer a lucratividade do seu negócio aumentar exponencialmente. Conquiste novos clientes, mas não os perca. Sua lucratividade está em cima de sua audiência.

Fonte : http://www.v4company.com/midias-digitais/

segunda-feira, 4 de dezembro de 2017

A grande importância do Neuromarketing para as empresas



Por que Neuromarketing é o novo Buzzword para empresas

por Ade Holder / Tradução Google Tradutor

O sorrateiro Kendall Jenner Pepsi, o irreparável anúncio Groupon super bowl de 2011 e a nova embalagem estranha de Dove: os três desses desastres atuam como lembrete de que a pesquisa de marketing nem sempre é correta ...


Como podemos entender o que os consumidores realmente desejam e avaliar suas reais reações sem obstáculos com a convenção social? Pesquisas e grupos de foco só podem ser tão úteis. Entre no Neuromarketing, um conceito que está ganhando popularidade em parte devido à crescente disponibilidade de tecnologia neurocientífica. No entanto, o conceito ainda se encontra com hesitação, tanto dos comerciantes quanto dos neurocientistas.

O que é Neuromarketing e por que é usado?

Neuromarketing é a aplicação de técnicas neuroscientíficas para estudar marketing. Muitas pesquisas de marketing experimentam deficiências durante a coleta de dados, que normalmente consiste em grupos focais e pesquisas. Os consumidores podem superestimar ou subestimar a forma como eles se sentem, ou pegar as pistas subconscientes dos pesquisadores, que os induzem a responder de maneira específica. As técnicas neurocientíficas permitem aos profissionais de marketing visualizar a verdadeira reação do consumidor ao estímulo.

Preocupações éticas

Houve um empurrão significativo no conceito de neuromarketing, com alguns preocupados de que a busca do "botão de compra" do cérebro possa resultar em publicidade que as pessoas não conseguem resistir. As preocupações ligeiramente mais realistas incluem a segmentação de populações vulneráveis.

O conceito de criar publicidade que os consumidores não conseguem resistir mostra um ligeiro mal-entendido sobre o que o marketing engloba. O marketing é sobre reconhecer e atender às necessidades e desejos de um consumidor. A pesquisa que se dedica ao marketing sempre se sobrepôs, pelo menos um pouco, com a ciência. Os comerciantes são obrigados a ter uma compreensão da psicologia, sociologia, negócios e economia, bem como os aspectos técnicos de qualquer produto que eles são obrigados a comercializar.

O estudo do comportamento do consumidor é de interesse específico para os comerciantes, o que se sobrepõe significativamente à psicologia, à fisiologia e à neurociência. A pesquisa de Neuromarketing, portanto, não é necessariamente tão básica como "Como podemos obter mais consumidores para comprar o produto A?". Pode ser tão extenso quanto olhar para os mecanismos de negociação na mente do consumidor, pois eles escolhem entre os itens.


Além disso, a tecnologia de imagem e a compreensão geral do cérebro certamente não estão perto de um ponto em que se pode acessar uma área específica que induzisse o comportamento de compra em um cliente. Mesmo com equipamentos de imagem cerebral mais sofisticados, como o realizado pela MCI Neuroscience e várias outras empresas, seria difícil identificar a região exata responsável pelo comportamento de compra.

Murphy e Al  (2008) fazem um excelente trabalho de resumir eventuais riscos potenciais de forma mais realista. Deve ser adotado um código de ética em que o consentimento informado e o direito ao anonimato sejam dados aos participantes. Outro problema potencial que seria resolvido com legislação adicional e um código de ética é o uso do neuromarketing na exploração de grupos que são mais vulneráveis ​​ao marketing.

Aplicações práticas e tipos de técnicas de Neuromarketing:

IMRI


O IRMF é a técnica mais útil para determinar a atividade cerebral em resposta a estímulos específicos. No entanto, para fins de marketing, isso é incrivelmente caro e, muitas vezes, não é tão útil como alguns pensariam. Por exemplo, se estamos monitorando a atividade cerebral de uma pessoa em resposta a um anúncio, não temos como saber em qual estímulo específico eles estão reagindo. Claro, a solução é combinar este teste com um questionário depois para entender melhor as reações. Isso apenas apresenta as questões padrão que os questionários trazem: respostas imprecisas de sujeitos de teste.

A próxima opção, menos dispendiosa, é EEG. Anteriormente, os EEGs eram uma matriz complicada de eletrodos conectados ao crânio através de um gel pegajoso, preso na outra extremidade a uma máquina de leitura volumosa. Felizmente, o EEG recentemente se tornou significativamente mais eficiente, com versões amigáveis ​​para o consumidor de fones de ouvido EEG disponíveis por apenas US $ 100. Mais modelos  Gtop-end também rastreiam o movimento do músculo facial, de modo que as expressões podem ser correlacionadas aos sinais. Esta técnica resolve muitos dos problemas associados à fMRI: é fácil de transportar e muito menos inconveniente para os participantes.

EEG

EEG certamente tem suas deficiências, no entanto. Para começar, sabemos que as leituras de EEG só podem penetrar até o córtex externo. Isso nos dá menos visibilidade da atividade cerebral do consumidor, mesmo sem considerar que os EEGs do consumidor podem ter apenas um eletrodo; um EEG padrão, de nível científico, possui mais de uma centena de eletrodos. Então, independentemente de que os fones de ouvido do EEG do consumidor ganhem em facilidade de uso, eles perdem a clareza do sinal. A quantidade de ruído presente nas leituras desses fones de ouvido é muito maior que a de uma instalação científica completa de EEG. Isso significa que os dados gerados devem ser tratados e processados com muito cuidado, com controles apropriados. Na falta disso, é necessário um grande tamanho de amostra para garantir que os dados obtidos sejam significativos.


GSR

Outra técnica comum, às vezes usada em conjunto com EEG, é a medição da Resposta Galvânica da Pele (GSR). GSR é uma medida na mudança de condutividade da pele devido à leve atividade da glândula sudorípara. Essencialmente, pode ser uma indicação da excitação ou supressão do sistema nervoso simpático. Quanto mais condutividade existe em toda a pele, mais despertada é o indivíduo. Feito isoladamente, no entanto, as informações obtidas com o GSR não são particularmente úteis, pois é difícil dizer o que o sujeito está sentindo.


Eye-Tracking

O rastreamento de olhos também vale a pena mencionar, pois é anunciado por várias agências de neuromarketing e usado para o grande efeito. O rastreamento de olhos consiste em um fone de ouvido com duas câmeras. Um aponta para o participante e mostra o ponto de vista deles. O segundo enfrenta os olhos do participante, rastreando seus movimentos. Os sinais são alimentados através de um algoritmo que permite ao pesquisador determinar exatamente o que o participante observa quando e quanto tempo. Esta técnica é útil na concepção de páginas web ou layouts de compras


Neuromarketing para voce


O Neuromarketing é útil para quem procura obter informações únicas sobre as impressões que a marca faz nos consumidores. Além disso, à medida que as marcas procuram criar uma conexão mais genuína com os consumidores, as idéias adicionais estão se tornando cada vez mais importantes.

Embora seja sempre tentador como uma empresa a saltar sobre a tecnologia mais recente, é importante considerar verdadeiramente a informação que deseja reunir. Também é importante lembrar que, embora a tecnologia seja certamente impressionante, a informação que ela produz pode nem sempre ser valiosa para suas necessidades.


A despesa também é algo a ter em mente. Embora cresça em popularidade, o neuromarketing ainda é uma forma relativamente nicho de pesquisa e a tecnologia não é barata de usar. É preciso garantir que qualquer investimento em neuromarketing seja retornado em termos das informações obtidas com ele.

Sobretudo, o neuromarketing é uma ferramenta interessante que as empresas podem adicionar ao seu arsenal. No entanto, o campo tem um longo caminho a percorrer em termos de entrega de informações precisas e específicas. Dada a rápida expansão dos desenvolvimentos na neurociência, no entanto, o desenvolvimento do neuromarketing pode não estar muito atrasado. Esta tecnologia é absolutamente algo que as empresas devem manter um olho e considerar usar quando exigem feedback além do que a pesquisa de mercado clássica pode fornecer.


https://www.shoutoutuk.org/2017/11/10/what-is-neuromarketing-and-is-it-good-for-business/